jusbrasil.com.br
30 de Março de 2020

O que petistas, nazistas e judeus têm em comum?

Geison Paschoal, Advogado
Publicado por Geison Paschoal
há 4 anos

O que petistas nazistas e judeus tm em comum

Em algum tempo da história, pertencer a um desses grupos era sinônimo de achaque social. Foram todos atacados de forma violenta por quem detinha poder e pela própria sociedade. Foram todos grupos odiados.

O Nazismo começou assim: Hitler, um único homem, colocou a culpa de todas as desgraças da Alemanha em um único povo, o povo judeu. Inventavam e manipulavam notícias todos os dias sobre os judeus. Até que os judeus, na Alemanha, viraram bichos. Foram discriminados, xingados, desumanizados, torturados, e enfim, assassinados. Pasmem, com o apoio de toda uma sociedade alemã civilizada.

Hoje eu vejo amigos civilizados e cristãos com discursos nazistas, querendo a morte de petistas transformando-os no único mal do Brasil. Porquê você odeia o PT e não odeia o PSDB ou PMDB? Todos os petistas são santos? Não! E todos os tucanos, pmdebistas e democratas são santos? Também não!

Existem pessoas honestas e desonestas em todos os partidos, todas as religiões, em todos os times de futebol, em todas as empresas, em todos os condomínios. Mas você só odeia o PT, como os alemães um dia odiaram os judeus.

Agora uma pergunta que esse país tem que se fazer sem hipocrisia: O que todos os partidos políticos com pessoas honestas, e desonestas, têm em comum?

Todos tem em comum uma prática estabelecida pela democracia brasileira: Usam recursos de empresas ligadas, ou não, a governos para fazerem suas campanhas políticas. 100% dos partidos políticos no Brasil fazem isso, e 100% dos jornalistas políticos sabem disso, e 100% da Polícia Federal sabe disso, TODO o Poder Judiciário sabe disso, mas você só odeia o PT. Sabe porquê?

Porque você repete 100% das manchetes do que lê como se fossem verdades absolutas, e não criadas por homens e empresas com interesses em colocar ou tirar os grupos que estão no poder.

Hoje há uma guerra política nesse país. Uma guerra desigual bancada pelos interesses financeiros, especialmente da grande mídia. Uma guerra que está criando brasileiros “nazistas”.

Petista não é "tudo ladrão". Judeu não é bicho. Tem petista ladrão, tem tucano ladrão, mas não vamos pedir o extermínio de petistas ou de tucanos. Nem o extermínio da democracia, como pedimos um dia o extermínio dos judeus. Vamos pedir regras iguais para todos os lados, vamos assim consertando o Brasil.

Você hoje anda repetindo o discurso único da grande mídia: “Só o PT rouba”, "o PT só rouba”,"todo o PT rouba”, "todo judeu é ladrão”… ah não, essa última quem disse foi a tv nazista.

Não somos nazistas, somos brasileiros. Um povo que segundo o mundo inteiro vai vencendo problemas históricos de fome, pobreza e distribuição de renda. Somos pacíficos e alegres. Gostamos de ser assim, e somos sim exemplo para o mundo em muitas coisas boas.

Pense no Brasil que realmente quer construir, compartilhe tolerância, compartilhe o Brasil que queremos ser.

Não somos nazistas, somos brasileiros, construindo um novo país.


Este texto foi extraído do vídeo abaixo e vale muito a reflexão para o caminho que estamos seguindo. É importante refletir antes que seja preciso lamentar.https://www.youtube.com/embed/GfKITOrRkQM

11 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Esses seus amigos são barra pesada, heim?! Porque entre meus amigos, vizinhos e pessoas que acabam entrando em meu convívio, nenhum deles querem morte de petistas. Nem sequer uma agressão física é pregada!

Do contrário, petistas tem ido às ruas agredir manifestantes que se opõem ao governo. Tem convocado contra-manifestações com intuito de confrontar e tentar frustrar manifestações legitimas previamente convocadas contra o governo federal – o que é inconstitucional. Tem ido às mídias incitar o ódio e a agressividade dos militantes, com convocação de uma guerra, quiçá com ajuda do “exército de Stédile” – que não é nem um pouco pacífico.

Mas isto o articulista omite!

Comparar os petistas com os judeus vítimas de Hitler é um despautério. Hitler queria construir uma superioridade da raça alemã, não só em detrimento de judeus, mas de todos os outros povos que ele considerava como “raça inferior”. É totalmente diferente de uma oposição democrática, que deseja combater a corrupção pelas vias judiciais e até mesmo um impeachment com base em um crime de responsabilidade que será julgado pelo Congresso. Não se prega em lugar nenhum – com exceção dos amigos do articulista – o extermínio de petistas por serem uma “raça inferior”. O sofrimento dos judeus não pode nunca ser comparado aos petistas -- que sequer tem sofrimento.

O articulista repete a retórica do “todo mundo rouba”. Ora, não podemos recriminar o Primeiro Comando da Capital porque o Comando Vermelho também comete crimes? Não pode se investigar a corrupção no governo petista porque não se investigou as capitanias hereditárias? Que lógica é essa??? Isso me soa mais como uma tentativa de criar um imobilismo popular...

Uma simples visita ao site do Governo Federal serve para nos situar que quem está no comando do país é o PT! Faz 13 anos que estão lá! O projeto de poder é deles, e não do PSDB ou PMDB (se bem que este se beneficia deste projeto). É óbvio que o povo vai se voltar em sua maioria contra o PT: o Partido é o centro de tudo!

E não adianta vir com o discurso que isto é graças à “grande mídia”, que tem interesses financeiros nisto tudo. O PT também tem sua mídia, com seus interesses financeiros e políticos, que é tão – ou mais – manipuladora que a grande mídia. Vá no site da Carta Capital, Pragmatismo Político, Brasil 247 e mídias et caterva neste exato momento, e observe que a Veja se tornou fichinha perto deles! Passe alguns dias lendo O Dia, a UOL, o Consultor Jurídico, ou então vendo a Record, e estará diante uma linha auxiliar da defesa dos petistas. O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo defende Dilma, Lula e o PT.

E, por fim, há uma grande diferença nisto tudo: as manifestações contra o PT, até agora, tiveram adesão livre e espontânea da população – tal como foram as jornadas de 2013. Já as manifestações pró-PT conta com militantes comprados com dinheiro e pão com mortadela, com o aparelhamento da CUT, UNE e MST, que não tem mais a legitimidade de seus representados. Volta-se contra a população, pois, ao contrário que sugeriu o articulista, eles que se colocam em uma posição de superioridade – principalmente acima das leis e da Constituição Federal.

Não haverá nenhum silêncio obsequioso! E nem se aceitará este argumentum ad infinitum como forma de desviar o foco do PT...

Com todo respeito, o artigo não foi feliz! Mas tolero seu ponto de vista...

Um abraço! continuar lendo

Discordo de vossa senhoria; O povo foi traído pelos programas e promessas do PT. Eles quando eram oposição, viviam criticando a todos inclusive chamando os integrantes do governo FHC de "bando de ladrões' e fizeram coisa pior do criticavam e combatiam veemente. O povo foi traído! Apoiaram a cassação do" Color " e agora dizem quando estão prestes a de tomar o próprio veneno e chamam de golpe? Por isso estão sofrendo repúdio da sociedade! a propósito, o nazismo foi fruto da esquerda alemã ou seja, a nacional socialista! O brasileiro repudia o comunismo! O único lugar onde o comunismo dá certo é na penitenciária e é pra lá que a liderança do PT está indo! continuar lendo

Excelente ! Concordo em gênero, número e grau.
Neste momento está sendo julgada a PresidentE Dilma; o impeachment é inevitável, por tudo o que você disse acima. Parabéns ! continuar lendo

Parabenizo o articulista pela elucidação. Todavia, temos que aperceber a realidade brasileira: aristocrática. Os movimentos sociais brasileiros foram sempre repudiados por uma parcela de cidadãos — elites: política, empresarial, jornalística e cidadãos comuns — os quais detestam a ideia de viver ao lado dos párias [nordestinos, negros, pessoas com necessidades especiais, indígenas, mestiços].

O cidadão que estudou um pouco de sociologia, ou é sociólogo, sabe muito bem que o Brasil é segmentado, e a parcela discriminatória teve força de mando desde o descobrimento do Brasil. O nobre operador de Direito, assim como demais operadores, sabem muitíssimo bem da historicidade bárbara em solo pátrio.

A direita sempre esteve no poder, e o que ela fez, antes de 1988, para consagra o princípio da igualdade? A partir de 1891, a primeira Carta Política democrática, e nas demais CFs, o princípio da igualdade existia nas normas constitucionais. A desigualdade social, antes da CF/88 era extremamente desumana. Ricos mais ricos, pobres mais pobres. Ricos e poderosos — "Sabe com quem está falando?" — ditaram regras segregacionistas. E tais fatos são denunciados por mim na maioria dos artigos, graça a imparcialidade do JusBrasil, que fique solar. Infelizmente, tive o desprazer de ver meus artigos não publicados por que defendia a imparcialidade e a defesa dos direitos humanos, os quais não tem partidos políticos, mas, o foco primordial, a vida humana, com todo o seu esplendor. Esplendor, porque, mesmo nos momentos de maior carnificina, consciências humanísticas, se erguem, como um despertar de uma força latente em todos os seres humanos.

A ignorância, pela doutrinação sistêmica ao medo de pensar e agir por si, causou a estagnação intelectual, étnica e filosófica. E assim, numa doutrinação secular, elitizada, nada mais compreensível a perseguição a qualquer ato que venha garantir os direitos sociais. Assim foi percebido pelo ex-presidente da República Fernando Henrique Cardos quando começou aplicar os direitos humanos aos excluídos socialmente. Lula deu prosseguimento, mas por ser de esquerda, operário e nordestino, foi amplamente repudiado. Com certeza, mesmo que Lula tenha cometido, se provado, que cometera crime, haverá legiões a condenar a pessoa do presidente, por representar os párias.

Não podemos esquecer de que o liberalismo ou neoliberalismo fizeram estragos nacionais e transnacionais. Diante da urgência para controlar a corrupção sistêmica global [globalização] foi promulga a Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção, adotada pela Assembléia-Geral das Nações Unidas em 31 de outubro de 2003. O Brasil assinou em 9 de dezembro de 2003, sendo decretada em 31 de janeiro de 2006 [DECRETO Nº 5.687].

Não é demais dizer que os direitos sociais nos países de extrema desigualdade social são repelidos pelas elites. EUA, por exemplo, possuindo um dos maiores PIBs da Terra possui desigualdades abissais. Ora, não é a economia que garante a redução das desigualdades sociais, mas a sua distribuição, aplicação finalística conforme o interesse público geral, e não ao interesse público minoritário. continuar lendo

Incrível como um bom artigo gera um comentário de mesmo nível. Parabéns ao Sr. Geison Paschoal e ao Sr. Sérgio Henrique da Silva Pereira continuar lendo